Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2015

Jornalismo, títulos e afins.

O jornalismo português tem inovado, a nível de primeiras páginas, de títulos e afins. Novas formas de captar mais leitores (por um lado percebo, por outro, sou uma clássica da prole de classe, e gosto das regras e da ética). O online, é certo, veio provocar muito essa mudança. E se na maioria das vezes discordo de títulos que mais parecem uma infantilidade, no caso da primeira capa do i de hoje, fico na dúvida. Esta alusão à caixa multibanco fez-me rir. Não sei se realmente foi bem «esgalhada» ou se é só e apenas por ser Santana...

"O Capital". Dos ricos, pois claro!

O penoso caminho de Costa.

A dor que nos destrói todos os dias.

Um pai agarrado aos dois filhos dentro de um barco, com a cara cheia de lágrimas, na chegada à ilha grega de Kos. A imagem fotografada na Grécia pela lente de Deir Ezzor, freelancer a trabalhar para o New York Times, mostra a dor que todos os dias nos chega a casa. É um dos maiores dramas que temos em mãos e a impotência que nos corrói, mata.

Dia Mundial da Fotografia. Porque sem ela o mundo não seria o mesmo.

Comemora-se hoje o Dia Mundial da Fotografia. É uma área com a qual trabalho desde que me lembro de andar nesta vida escriba. Sem ela, o trabalho do jornalista não fica completo (se é que alguma vez fica). Mas a fotografia é algo que, ao contrário da escrita, não precisa, muitas vezes, de legenda/acrescentos. Aprendi a gostar de fotografar (sem qualquer formação técnica) no terreno. Na Faculdade, a cadeira de Fotojornalismo deu-me as bases. Mas é com a máquina na mão que se aprende, errando todos os dias, posso garantir.smile emoticonHoje, em homenagem a essa grande princesa da imprensa, escolho duas, em particular, da minha autoria. A primeira na serra da Estrela (há três anos, num Outono invernoso). A segunda, data de outubro de 2014, em Olhão, num quente final de outubro, que jamais esquecerei. Não tenho jeito, dom e muito menos a arte dos profissionais. Mas que a ela, a fotografia, se mantenha firme, de pé, porque sem ela, o mundo em que vivemos não seria, decerto, o mesmo.

Estranha forma de ser velho em Portugal.

Maria avança para Belém. O puzzle presidencial está longe de terminado.

É oficial. Numa nota enviada à Lusa, Maria de Belém anuncia que é candidata a Belém. Será muito difícil o PS de António Costa não apoiar a antiga ministra da Saúde. Mas, ao mesmo tempo, quem conhece as personagens sabe que ou haverá muita disciplina, ou Costa vai ter alguns problemas de campanha (legislativas e presidenciais). Veremos como se movimentará agora Sampaio da Nóvoa (que tantos socialistas apoiaram) nestas presidenciais que ainda estão longe mas mexem mais nesta silly que as legislativas. A jogada da direita pode, com esta novidade, alterar-se. Esta noite muitos jantares e conversas deverá haver nas hostes de Rio e Marcelo.

Dia Internacional da Juventude. Um hino a seres que mereciam outro destino.

Promessas eleitorais. Secção 'Acredite, se quiser'.

A campanha eleitoral rumo às legislativas ainda nem começou mas a silly já fez questão de a aquecer, com a história dos cartazes não só do PS como da Coligação. Mas os slogans continuam a ser mais do mesmo. Hoje destacamos este, do CDS. A verdade, base de uma campanha de comunicação e marketing, continua ausente e cada vez mais pisada. Siga.

O outro lado de uma Lisboa na moda.

O outro lado de uma capital endinheirada, de gentes de dentro e dos forasteiros. Mas a miséria e a pobreza andam lado a lado com essa outra Lisboa, bonita e serena. A imagem foi captada hoje na Baixa da cidade e revela bem esse lado negro de quem nada tem mas que é, sem dúvida, sobrevivente na estrada tramada da vida.

Com amor, dedicado a ti, Lisboa, menina e moça!