Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2012

Marinho Pinto. O passar dos limites.

Miguel. A homenagem no S. Luiz.

Paulo. Chora. Chora tudo.

ALA. Tal como o conhecemos,

Frase perigosa.

Vale a pena pensar nisto.

Vivam.

Beira Interior. As aldeias históricas de um mundo que é nosso.

Juntos. Mas sempre.

Mar. Que futuro?

Jovens deputados da Nação. Uni-vos contra a ignorância.

Miguel. «Partir de cara lavada».

Um homem raro. Uma entrevista fantástica. Mandela, assim, como sempre foi.

Um momento de libertação.

Precisamos de outra senha. Já!

Imperdoável é não perdoar, meus senhores!

Abril. Ilustrativo.

«A Democracia é difícil e exigente, mas dela não nos demitimos».

Abril contado em imagens que não perecem. Olha 'Troika',a Revolução interior nunca se ganha.

25-A. Dedicado às Matilde's e Tiago's deste país.

Incompetência. Ponto. Sem parágrafo.

Lá longe, descansa a Vida em pleno. A tua, Miguel. R.I.P.

Miguel Portas. A morte chegou cedo demais.

Metro de Lisboa numa versão nunca vista.

O tempo real do 25-A.

«Figurinhas» tristes do 25 de Abril de 2012.

Porque hoje é o Dia Mundial do Livro.

2 em 1

Platonismo, levas-me à América? :-)

Era assim em 1993. O Mundo virou mesmo.

Topo do Mundo. Meu e do Platonismo.

Otelo. O Metrossexual.

39 anos de Partido Socialista.

Cá está a assunção da realidade.

Platonismo na guerra (diária).

Monsanto. «A aldeia mais portuguesa de Portugal».

Museu do Fado. Para entrar e não mais sair.

Os sabores serranos que me encantam.

À descoberta da Gardunha com a Troika no caminho.

À descoberta das aldeias históricas.