Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2009

EPE: 91,1 milhões de prejuízo

Os hospitais públicos com gestão empresarial, vulgo EPE, tiveram um prejuízo de 91,1 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, um agravamento de 22,6 por cento em relação ao período homólogo de 2008. Eng.º gostava de vê-lo a comentar estes dados!

Ai Timor!

Timor/Trovante//João Gil/João Monge«Lavam-se os olhos
nega-se o beijodo labirinto
escolhe-se o mar
no cais deserto fica o desejo
da terra quente por conquistar
Nobre soldado
que vens senhor
por sobre as asas
do teu dragão
beijas os corpos
no chão queimado
nunca serás o nosso perdão
Ai Timor
calam-se as vozes
dos teus avós
Ai Timor
se outros calam
cantemos nós
Salgas de ventres
que não tiveste
ceifando os filhos
que não são teus
nobre soldado
nunca sonhastever
uma espada na mão de Deus
Da cruz se faz
uma lança em chamas
que sangra o céu
no sol do meio dia
do meio dos corpos
a mesma lamaleito final
onde o amor nascia
Ai Timor
calam-se as vozes
dos teus avós
Ai Timor
se outros calam
cantemos nós»

Timor. Música: João Gil. Letra: João Monge. Intérprete: Trovante.

A boca de Manuela

«O Estado está transformado numa máquina ao serviço do poder e dos que o ocupam». Manuela Ferreira Leite, no encerramento da Universidade de Verão do PSD.

Timor: 10 anos depois

A 30 de Agosto de 1999, Timor-Leste e o Mundo assistiam ao referendo que ditou a independência. Hoje, dez anos depois, familiares daqueles que combateram pela libertação assinalam a data junto das campas daqueles que lutaram em nome de Timor. Portugal esteve presente nesse momento decisivo, através de uma força colectiva inédita que juntou um País inteiro à volta da libertação dos timorenses. Não nos esquecemos.

A boca do dia

«O programa eleitoral do PSD é mais duro e mais focado do que o do PS». Pina Moura, ex-ministro da Economia de Guterres. Expresso.

Sem comentários

Esperemos que não seja um flop

Fonte: Os desenhos do Henrique Monteiro

Mourinho polémico

José Mourinho não perde a oportunidade para estar no centro da polémica. Desta feita está a gerar ondas de crítica no mundo muçulmano. Tudo, porque diz que um jogador seu está a ter menos rendimento e problemas de cansaço devido ao jejum, característico do Ramadão! Haja paciência para Mourinho.

A fera volta a atacar

«Este governo é constituído por homens e mulheres honestos, e não por um bando de criminosos». Augusto Santos Silva, ministro dos Assuntos Parlamentares. Diário Económico.

Ted Kennedy (1932-2009)

Ainda vamos a tempo

Os responsáveis governamentais não podem continuar a aumentar as emissões e esperar que um milagre as faça cair 80 por cento em 2050!». A frase, em tom de preocupação, é de Rajendra Pachauri, presidente do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, e revela bem o estado geral do mundo em matéria de aquecimento global. A cem dias do início da conferência de Copenhaga, que ambiciona chegar a acordo sobre o sucessor do Protocolo de Quioto, a verdade é que todos os alertas são poucos e cada um de nós tem a obrigação de contribuir para minimizar os dados da civilização que nos sucederá. Esperemos não chegar tarde demais.

Dois em um

É o chamado dois em um. Cavaco promulga no mesmo dia dois diplomas importantes para o Governo de José Sócrates: o que alarga o levantamento do sigilo bancário e a escolaridade obrigatória até ao 12.º ano. O segundo é consensual, já o primeiro...

Combate político começa a aquecer

«A estratégia do Governo de José Sócrates visa promover o controlo económico dos órgãos de informação por grupos que lhe poderão garantir uma comunicação favorável». A frase é de Alexandre Relvas, presidente do Instituto Sá Carneiro, na abertura da Universidade de Verão do PSD, em Castelo de Vide. Os argumentos de campanha aí estão. Em força!

Castelo de Vide é palco da festa laranja

Com as legislativas em pano de fundo, arranca hoje na bela vila de Castelo de Vide, a tradicional reentrée do PSD: a Universidade de Verão. Segundo o director da iniciativa, organizada pelo Instituto Sá Carneiro, Carlos Coelho, as polémicas ficam à porta. Por lá vão passar Paulo Rangel, Marcelo e Pedro Santana Lopes. Haverá certamente grandes bocas para ouvir e fazer títulos de jornal.

Cavaco veta Uniões de Facto

Presidente vetou hoje a Lei das Uniões de Facto. O clima de tensão entre Cavaco e Sócrates aumenta e de que maneira.

Sócrates: o campeão do desemprego

«O primeiro-ministro é o recordista do desemprego». Paulo Portas, líder do CDS-PP.

Uma decepção chamada Naide

Portugal fica em que lugar?

Os espanhóis não brincam em serviço. A taxa de natalidade em Espanha está a atingir valores recordes, tanto pelo aumento no número de nascimentos entre espanhóis como entre imigrantes. Os dados mais recentes indicam que no ano passado a taxa de natalidade foi a mais elevada em 19 anos. Espanha sobe assim para o 13.º lugar na lista conjuntural de natalidade na União Europeia, com uma taxa bruta de natalidade de 11,38 por cada mil habitantes: quase 519 mil nascimentos em 2008. Portugal fica em que lugar da tabela? Não queremos saber. É melhor.

Seis milhões de euros investidos em «off-shore»

Não é invenção jornalística. Não, não é. É, antes, o próprio relatório de Agosto do Banco de Portugal que o confirma: o dinheiro que os portugueses enviaram para os “off-shore” chegava para construir um novo aeroporto de Lisboa e a terceira travessia sobre o Tejo. Dos mais de seis milhões de euros de portugueses nestas zonas em 2009, 1,4 mil milhões foram investidos em Maio. Ainda dizem que a crise não acabou. Para poucos, ela nunca existiu.

A boca do dia

«Maria José Nogueira Pinto é um fenómeno político merecedor de investigação». Pedro Santana Lopes. Público.

E assim se criam monstros

É de facto monstruosa a verba imposta por Pinto da Costa referente à cláusula de rescisão de Hulk: 100 milhões de euros. O jogador azul e branco passa a ser o detentor da cláusula mais elevada de sempre do futebol português. Dada a cobiça que o brasileiro começa a suscitar, Pinto da Costa não hesitou em subir a fasquia. O problema do Papa é que, actualmente, Hulk é um, senão O jogador imprescindível no Dragão. Quem tem Hulk tem tudo. A frase diz tudo. E será que Pinto da Costa aguentará o jogador sensação do campeonato nacional? A ver.

Morais e Castro: 1939-2009

Foto: Luiz Carvalho.

Há sapos difíceis de engolir

Não tenho nada contra Pacheco Pereira. Que fique claro! Mas alguém me pode explicar como é que aquele que é conhecido recentemente como a «loira do regime» é cabeça-de-lista por um distrito a que não está ligado e onde ninguém sente qualquer animosidade pela figura? Há coisas que nunca vou entender na vida. Esta é uma delas. Sei bem o jogo político, mas como cidadã nunca o entenderei. Santarém nada diz a Pacheco e os ribatejanos não têm particular simpatia por Pacheco! Deve ser um dos sapos que o autor do Abrupto diz que engoliu!

Vitimização socrática

Quem quer, afinal, enganar José Sócrates. Hoje, após a derrocada de uma falésia em Albufeira, que matou cinco pessoas e feriu três, o Primeiro-Ministro cancelou toda a agenda oficial para se deslocar ao sul do país, em sinal de apoio às famílias das vítimas. Com cara de vítima, consternado pela tragédia, Sócrates representou bem o papel de actor. Eleições à porta, a tanto que obrigam. Mas, o Presidente, de férias em Boliqueime, antecipou-se ao senhor de S. Bento e esteve no local, no areal, sem medo de molhar os pés. Já o primeiro-ministro nem ao areal desceu. Lamentável.

Disponível

«Estou disponível para fazer as alianças necessárias».
Ana Gomes, candidata do PS à Câmara de Sintra. DN.

«Disparates de Verão»

«Disparates de Verão». Assim classificou José Sócrates as notícias hoje divulgadas pelo PÚBLICO que davam conta de um facto, no mínimo, estúpido: o Governo pode estar a vigiar Belém. Só quem não sabe como funciona a Presidência da República e o inquilino que por lá habita é que pode escrever tais barbaridades. Tenho, inevitavelmente, de concordar com o Primeiro-Ministro. Nem Cavaco deixaria que tal acontecesse nem o PR permitiria, como afiançam alguns dirigentes socialistas, que alguns assessores do chefe de Estado participassem na elaboração do programa de Governo do PSD. Assim, só me resta dizer: mau trabalho da jornalista do PÚBLICO, má fé do PS e falta de ética e sentido de estado dos off's de Belém, citados no trabalho jornalístico. Diz Sócrates, e muito bem, «disparates de Verão».

A imagem do dia

A cidade americana de Chicago recebe o festival de Ar e Água 2009, até 16 de Agosto. É caso para perguntar: onde está o chão?

«Portugal é um grande caso BPN»

Medina Carreira
Já nos habituou à dureza com que responde às perguntas dos jornalistas. Medina Carreira, o grande mestre em Finanças e na análise do País, disse, em entrevista à SIC Notícias, que o país actual em que vivemos só pode ser comparado ao caso BPN. O antigo ministro das Finanças afiançou ainda que quem entra na política só procura fazer negócios. Faz falta mais homens e mulheres como Medina Carreira em Portugal. Ao contrário dos que pensam que o professor sisudo só sabe dizer mal e criticar , a verdade é que ninguém como Medina nos mostra a realidade nua e crua da sociedade portuguesa. O retrato é sempre negro porque negra também é a situação que se vive em todas as áreas estruturais do País.

Sócrates e os números

Já é um hábito em Portugal. E não é apenas uma manha de José Sócrates. Todos os chefes de Governo adoram fazer este número quando o INE divulga dados que agradam aos executivos. Hoje, o primeiro-ministro, acabado de chegar das férias - que muitos portugueses não têm -, veio comentar, contente da vida, os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística que indicam que a economia cresceu 0,3 por cento no segundo trimestre. Diz Sócrates que o Governo está no caminho certo para sair da crise e que os dados divulgados pelo INE são «animadores» e «positivos».
Declarações como esta, já esta semana reafirmada pelo ministro das Finanças, só me fazem lembrar a célebre tirada de Manuel Pinho, em 2006, quando o então ministro da Economia anunciou o fim da crise. Pelos dados internacionais sabemos que a crise financeira e económica está longe do fim. Por cá o desemprego aumenta a olhos vistos, o número de pobres já ascende a dois milhões e o ambiente económico é ainda anémico. Se isto é sin…

A imagem do dia

É de águas profundas? Portas, parece ser, num Verão quente como há muito não se via! O voto a isso obriga.

Igreja e eleições não se misturam

A relação do Estado português com a Igreja está cada vez deteriorada. O reitor do Santuário de Fátima não gostou de ver a imagem da instituição na propaganda eleitoral da candidatura do Partido Socialista aos órgãos autárquicos do concelho. «A Igreja em princípio não faz política e também não gosta, não concorda, pelo menos eu não gosto nem concordo, que, de facto, as forças partidárias se aproveitem da Igreja em benefício das suas políticas próprias», disse Virgílio Antunes à Lusa. Vai daí, Platonismo Político só tem uma coisa a dizer: «à política o que é da política, à Igreja o que é da Igreja».

Partido Trabalhista Português

Para os que ainda não sabem Portugal conta, desde o mês passado, com mais uma força política: o Partido Trabalhista Português. Só para não estranharem a sigla PTP nos próximos boletins de voto, dizem os seus membros que o partido se situa no centro esquerda. Ora, nós por cá, só temos de lhes desejar boa sorte. Não terão vidinha fácil, lá isso não terão!

Monarquia em tempo de silly season

«Daqui posto de comando do Movimento do 31 da Armada: Durante a madrugada de ontem, e apesar da forte vigilância policial, elementos do 31 da Armada (Darth Vaders) subiram heroicamente até à varanda do Paços do Concelho e hastearam a bandeira azul e branca». Assim se lia no comunicado que o grupo ligado ao blogue do 31 da Armada divulgou, na sequência da bandeira monárquica colocada nos Paços do Concelho da capital. Quase se temeu o regresso da monarquia, mas na verdade, tratou-se apenas de uma manifestação contra as comemorações do centenário da Republica. Ufa! Tememos o pior.

É preciso ter lata!

Há pessoas neste país que continuam a não ter vergonha na cara. Fátima Felgueiras, presidente da Câmara de Felgueiras, defendeu na noite de sábado que ali «nunca houve nada que não fosse rigor, honestidade e honra» considerando que «se andou 10 anos a espalhar mentiras». Na apresentação da sua recandidatura à autarquia, Fátima, a fugitiva mais conhecida do país, tem de ter muita lata para aparecer com aquela cara de pau a todos os portugueses! Lata, de facto, não lhe falta.

A capa do dia

O adeus de um homem que reinventou o humor no país cinzento, em 69, em plena Primavera Marcelista.

A boca do dia

«O Rendimento Social de Inserção é um "financiamento à preguiça" e fonte de crescentes abusos e fraudes».Paulo Portas, líder do CDS-PP.

Uma questão de transparência

Há uns meses, na época em que se soube que Portugal manifestou a vontade de acolher prisioneiros de Guantanamo, fiz um trabalho jornalístico sobre o tema. Na altura, o Ministério dos Negócios Estrangeiros não abriu a boca para falar sobre o assunto, inclusivamente parecia um tabu na tutela de Luís Amado. Agora, que sabemos que o nosso País dá mais um passo nas boas relações diplomáticas com os EUA, dois sírios que estavam na prisão norte-americana em Cuba, vão ser acolhidos por cá. Os homens terão um visto especial, não podendo sair do País. Chegarão a Lisboa até ao final do mês e serão vigiados discretamente. Os partidos políticos apoiam a solução, enquanto Obama bate palmas à decisão do Governo português. Não está em causa o processo, que apoiamos, até porque os dois prisioneiros foram ilibados das acusações de que eram alvo. O que está em cima da mesa é simplesmente uma questão de transparência e esclarecimento que nunca houve desde o início por parte das autoridades portuguesas.

Cavaco com diplomas quentes em férias

Pode ser um Verão arrasador para o Governo de José Sócrates. Já na fase final da governação, a acusar o desgaste, o PS pode ter um regresso das férias bem amargo. Uniões de facto, execução de penas, código contributivo e o sigilo bancário são alguns dos diplomas que Cavaco Silva leva para analisar estas férias e que poderão «aquecer» o debate político depois da silly season. O mal-estar, cada vez maior entre Belém e S. Bento, parece que vai agudizar-se ainda mais, lá para Setembro. O Verão 2009 vai prolongar-se, de certeza, até 11 de Outubro. A ver.

Raul Solnado (1929-2009)

Como ele dificilmente teremos outro. Aos poucos vamos vendo desaparecer ícones da comédia e do teatro nacional.

Até quando resistirá Manuela?

Depois da aprovação das polémicas listas para as legislativas, a líder do PSD tem sido atacada em todas as frentes. O falso «cavaquismo» que por aí ainda resiste, mostra as verdadeiras garras.Presentes envenenados é o que não falta. Marques Mendes devia estar em silênio e mais preocupado com os negócios privados. Mas salta agora porque sabe que ainda quer mais.Nós arriscamos dizer que Luís já foi o que tinha a ser. E depois de Passos Coelho, Ângelo Correia e Marcelo, só falta mesmo Luís Filipe Menezes para compor a orquestra. Até onde resistirá Manuela? Veremos, mas esperamos que até à queda socrática.

A dor de Marcelo

«Uma inesperada desilusão». É desta forma que o mais conhecido professor do país classificou, hoje, no SOL, as opções de Manuela Ferreira Leite para as legislativas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, as listas aprovadas na terça-feira pelo Conselho Nacional do partido revelam uma falta de «abertura interna de Sá Carneiro, Cavaco ou Barroso, nem suficiente abertura ao centro e aos jovens». Marcelo considera que as polémicas listas são «ferreiristas».
Platonismo Político só tem uma coisa a dizer: estará Marcelo com dor de cotovelo por também não ter sido incluído? Já não esperamos nada do professor: candidato a tudo e candidato a nada.

Cenário negro traçado pelo Nobel da Economia

«O pior da recessão ainda está para vir». Quem o diz é o Prémio Nobel da Economia, Edmund Phelps. Para além do desemprego, o economista, diz ainda em entrevista ao Diário Económico que a queda do consumo privado e do coinvestimento empresarial ainda se agravará mais. Em Portugal, a crise, continua-se a sentir como nunca. E, o pior, é que não sabemos quando nem como a inversão chegará.
Enquanto os dois milhões de pobres definham por cá, o Governo e partidos cerram fileiras para as campanhas que estão à porta. Muita promessa e pouca confiança é tudo quanto têm para dar. É momento de fazer e de não prometer. Mas teme-se que a ladainha seja a mesma do costume.

A falta de vergonha de Carlos César

Carlos César
Carlos César perdeu definitivamente a vergonha e o sentido de Estado que devia, no mínimo, caracterizar um político, no caso, um líder regional. O presidente do Governo açoriano acusa o Tribunal Constitucional de fazer o jogo do Presidente da República a propósito da sua decisão de declarar inconstitucionais vários preceitos do Estatuto dos Açores. Em declarações ao Expresso, o protegido de Sócrates, afirmou «já estar habituado a ter notícias do professor Cavaco Silva nas férias». «Faço parte das pessoas deste país, nas quais não se conta o professor Cavaco Silva, que lutaram pela autonomia e que levaram pancada da Frente de Libertação dos Açores. A minha história permite-me falar à vontade», acrescentou. César está igual a Jardim: um ditadorzinho que não se conforma com uma decisão de um órgão de soberania que dá razão ao Presidente. Não é a Cavaco, o político, mas sim à figura institucional. A vergonha tem limites e Carlos César perdeu-a toda.

A verdadeira Justiça pode ser bem célere

Isaltino Morais

Ainda não escrevi sobre o tão badalado caso Isaltino Morais. A condenação de 7 anos de prisão e consequente suspensão de mandato num processo que envergonha a Justiça portuguesa é apenas mais um capítulo de uma novela que ainda vai durar por longos anos.
Esperam-se recursos atrás de recursos. Entretanto, o actual edil de Oeiras poderá vencer de novo a autarquia e corremos todos o sério risco de ter, durante quatro anos, no poder local, um senhor que tem tudo para vingar no campo das ilegalidades em Portugal. Cabe aos oeirenses dar um cartão vermelho a Isaltino. Essa será a maior Justiça que, por enquanto, podemos esperar.

As escolhas de Manuela

Ferreira Leite, esta noite, no Conselho Nacional do PSD

Pacheco cabeça-de-lista por Santarém (o meu distrito), salta Miguel Relvas (braço direito de Passos Coelho, rejeitado por Manuela em Vila Real). Nogueira Pinto, que apoiou António Costa nas últimas autárquicas em Lisboa, é a n.º 2, a seguir à líder, nas listas da capital. Costa Neves (já ninguém se lembra do tímido ministro da Agricultura de Santana), ex-líder PSD/Açores será o cabeça-de-lista por Castelo Branco.
Manuela corre o sério risco de perder todo o capital político que obteve até agora. Há no ar as velhas guerras internas que tanto têm caracterizado o partido ao longo de toda a sua história. Esperava-se mais do maior partido da oposição. Mas também sabemos que falta a esta liderança capital humano e gerações novas para fazer a renovação necessária na S. Caetano à Lapa.