Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2009

Foi há quatro anos

Foi há quatro anos. Por vezes parece que foi ontem, outras, temos a sensação que foi há um século. A Capital fechou faz exactamente hoje quatro anos. Todos os que lá estavam sabem bem o quão difícil foi ver um jornal tão peculiar perecer.
A morte da imprensa é algo recorrente nos dias que correm. Depois de A Capital, já foi o Indy, o Tal e Qual, assim, que me lembre de repente! Vivemos num tempo em que o Jornalismo sucumbe às mãos do poder económico! A paixão e o sangue da profissão, esse, perde-se, a cada dia que passa! Mas…hoje, a memória de A Capital, faz-nos recordar com sorrisos no rosto as pessoas que lá encontramos. Acho que ninguém te esquece...A Capital dos nossos tempos de um pedaço de vida tão curta e tão intensa!

A política já não é o que era

Fraco. Assim se pode caracterizar o debate desta noite que opôs Santana Lopes e António Costa. Os dois adversários na corrida à presidência da câmara de Lisboa deram um péssimo espectáculo televisivo. Desde os argumentos falseados das contas financeiras da autarquia, aos ataques decorados do actual autarca da capital, acabando na agressividade, nada normal do «menino guerreiro», nem mesmo a moderadora, Clara de Sousa, se saiu bem. O primeiro minuto do debate não passou no canal generalista devido a um problema técnico da estação de Carnaxide. Espera-se melhor no futuro. De todos. Os lisboetas e o país merecem-no.

A gripe de Manuela

Obviamente que passa pela cabeça de muita gente que Manuela Ferreira Leite utilizou o pretexto da gripe que a atingiu para não marcar presença na tradicional festa do PSD/Madeira, no Chão da Lagoa. Ora, todos sabemos que a líder do PSD não morre de amores por Alberto João. Que a descida ao Portugal profundo e ao povo causa arrepios à presidente social-democrata, mas deixemo-nos de tretas: Manuela quer vencer José Sócrates, sabe que Jardim é e será sempre uma boa ajuda. Por isso, acredito que Ferreira Leite faria tal sacrifício para ir à Madeira. Só tenho pena de não podermos assistir à deliciosa cena de ver Manuela rodeada de copos de cerveja, bifanas e muito fumo à mistura! Seria um cenário fantástico e um momento único de televisão!

Direita cerra os dentes à esquerda socialista

Em época de pré-pré-pré campanha, a direita deu hoje mensagens curiosas ao País e à opinião pública. Santana Lopes, em entrevista ao i, fez questão de começar a rasgar no PS: diz que pelo menos ele não se licenciou num domingo, numa clara alusão à licenciatura de Sócrates e garante que António Costa é tudo menos verdadeiro nas promessas que faz aos lisboetas. Mal ou bem, a verdade é que a entrevista do ex-primeiro-ministro levou o actual presidente da câmara de Lisboa a desmentir Santana num vídeo divulgado hoje ao final da tarde.
Já Paulo Portas, na entrevista que deu ao JN, diz, claramente, que não fará nenhum acordo com o PS nem com José Sócrates, nem pré nem pós-eleitoral. A direita, em claro ataque à esquerda, marcou claramente o dia político. Resta saber se são apenas ideias ocas ou se serão para cumprir.

Até já deputado-poeta deste triste País

Hoje, na Assembleia chegou ao fim 34 anos de batalhas ideológicas e políticas. Obrigada, Manuel!

Título do dia

Noticia o PÚBLICO hoje, em primeira página, que uma escola de Viana passa aluno com 9 negativas e diz que foi a melhor solução. Tudo dito.

Santana escreve contra Sócrates

«Somos um país sem rigor. (...) Muitas vezes dou comigo a pensar nas razões que conduziram o nosso país a esta letargia permanente. Até as melhores pessoas estão viciadas na falta de contolo e na falta de rigor. Parece que nada funciona no país». A frase é de Pedro Santana Lopes e consta do seu mais recente livro «A Cidade é de Todos», que será apresentado, esta noite, no Centro Cultural de Belém.
O candidato a presidente da Câmara de Lisboa dá «testemunhos pessoais e políticos de um homem que sonha com a pólis perfeita». Por entre confissões há um ataque a Sócrates inscrito no livro, por o Primeiro-Ministro ter usado critérios diferentes no Freeport e num campo de golfe na Figueira. A ler.

A frase do dia

«Os deputados não respeitam o Parlamento». António Barreto. i

The Killers reavivaram memórias antigas

E foi assim ontem à noite no Super Bock Super Rock 2009. Parabéns aos que lá estiveram!

Mais um

Arlindo de Carvalho poderá ser o terceiro arguido no caso BPN, juntando-se a Dias Loureiro e a Oliveira Costa. A notícia, dada pelo PÚBLICO, acrescenta ainda que as casas do ex-ministro da Saúde de Cavaco e de Dias Loureiro foram alvo de buscas no final da última semana, de forma simultânea, porque haveria interesse nisso no âmbito do inquérito. Porque será que nada nos espanta já neste triste caso «cavaquista»?

Morreu Walter Cronkite: o americano em quem os americanos mais confiavam

«O que foi Walter Cronkite para a América, diz-se numa palavra: credibilidade. Era o americano em quem os americanos mais confiavam. Ele fez-me companhia durante tantas décadas – na televisão e nos livros que escreveu – que hoje o meu dia acordou mais vazio. Logo à noite não serei eu a dar a notícia da sua morte num qualquer telejornal, outros colegas o farão. Por isso aqui deixo esta breve nota sobre… o que Cronkite não era. Não entalava a sua opinião, explícita ou implícita, ao formular uma pergunta ao seu entrevistado. Evitava usar a palavra “eu”. Não confundia o entrevistado como se fosse um adversário, antes o confrontava somente com o vigor dos factos. Não era histriónico, não esbanjava gestos, geria as emoções pela voz. Era parco de adjectivos, não fazia editoriais nas introduções ou no termo das notícias. Articulava cuidadosamente as sílabas e fazia pausas correctas no fim de cada ideia. Não atropelava as notícias. O final de cada “pivot” era dito com energia, s…

Apocalipse

«A humanidade vive um apocalipse suspenso desde o final da Segunda Guerra Mundial».

Eduardo Lourenço, ontem à noite na Casa Municipal da Cultura.

Grave

O Governo aprovou hoje uma verba de 45 milhões de euros para aquisição de três milhões de vacinas contra a Gripe A, correspondentes a seis milhões de doses, mas...que sódeverão estar disponíveis no prazo máximo até Janeiro.
Tendo em conta que está previsto uma epidemia após o Verão, com 25 por cento da população a ser atingida, é grave demais para ser verdade. Ou seja, vamos ter vacinas e não as podemos usar. Grave.

De Boliqueime a Belém, hoje há festa no Palácio!

De Boliqueime ao Palácio de Belém. Assim se pode definir aquele que foi um longo percurso, marcado por sucessos académicos e políticos do homem que hoje está sentado na cadeira do Palácio da Presidência maior do País.
As duas maiorias aboslutas que Cavaco atingiu e que governaram o País de 1987 a 1995 foram as duas gloriosas marcas do seu percurso político. O «pai» do cavaquismo, o senhor Finanças, o génio que pensa Portugal é, sem dúvida, um dos políticos portugueses do final do século XX e do início do século XXI. Pessoalmente, e é raro fazê-lo, o elogio hoje é particularmente merecido. Setenta anos é um número gordo, tal como são gordas os contributos que Cavaco, o vulto esguio, frio e de uma inteligência rara, nos deram. Parabéns, Sr. Presidente!

Roseta o quê?

Helena Roseta informou os seus apoiantes que está a ponderar integrar a lista do PS à Câmara de Lisboa, uma decisão que contou com o apoio da maioria dos elementos presentes. Depois disto, coitado de José Sá Fernandes.

Palma Inácio morreu hoje aos 87

Morreu hoje, aos 87 anos, Palma Inácio, figura política da resistência ao regime salazarista. Hermínio da Palma Inácio tornou-se conhecido por protagonizar o primeiro desvio político de um avião, 10 de Novembro de 1961, por ter participado no assalto ao Banco de Portugal na Figueira da Foz, de onde levou cerca de 30 mil contos - uma fortuna para a época - e ainda por ter planeado tomar a Covilhã.

Atirar areia para os olhos é que não!

Uma das redes sociais na berra, o Facebook, tem destas coisas. Leva-nos a ler coisas que pecam por prova bem como por números impensáveis. Diz o director do novo diário do grupo Lena, Martim Avillez Figueiredo que 22% dos leitores do i não liam nenhum jornal antes. Antes, presume-se que do dia 7 de Maio, dia em que o jornal saiu para as bancas. É pena que não nos conte também como chega a estes números. São completamente impensáveis estes números. O País, como sabemos, não lê jornais, mas dizer que foi o i que inventou a pólvora parece-me um olhar demasiado excessivo para o umbigo. Nós, por cá, desejamos sinceramente que estes dados sejam verdadeiros. Até porque o i é um jornal com alguma qualidade. Só que ainda lhe falta muito para ter uma massa sólida a lê-lo, sobretudo quando o público-alvo do jornal é a classe A.

Os avisos do Presidente

«Apesar dos esforços dos governos, Portugal enfrenta há vários anos um problema grave nas suas finanças públicas, cuja responsabilidade se encontra mais do lado da despesa do que da receita. A sua resolução deve ser partilhada pelo conjunto das entidades responsáveis pela aprovação, execução e controlo da despesa».
Cavaco Silva.

Mais de 10 mil com salários em atraso

E, em relação aos salários em atraso, os números também não são nada animadores. Só nos primeiros seis meses do ano, o número de trabalhadores com salários em atraso detectados pelos inspectores da Autoridade para as Condições do Trabalho ultrapassou os 10 mil. E já não falamos do Lay Off...

Os dados continuam a ser negros

Os números continuam a ser negros. Portugal é o sexto país com taxa mais elevada no seio da OCDE. A taxa de desemprego subiu para 8,3 por cento na zona da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económicos em Maio, contra os oito por cento no mês anterior, segundo os dados hoje divulgados. As dores de cabeça para a maioria dos portugueses continuam.

Férias? Não, apelo ao voto!

Os meses de habitual diminuição da actividade política no Verão vão este ano ser preenchidos, não com férias, mas com comícios, acções de rua, debates, aparições assíduas dos rostos dos partidos e as máquinas partidárias na rua.
Com o apertado calendário eleitoral a aproximar-se e com os efeitos da crise económica ainda visíveis este "não vai ser um ano igual aos outros" e, por isso, a palavra de ordem nos principais partidos e coligações é falar ao eleitorado. Por isso, este ano, se estiver descansado numa qualquer praia do país não estranhe se lhe aparecer Portas, Sócrates ou Jerónimo a distribuir propaganda. Já Manuela, é bem mais difícil!

O acordo de interesses

António Costa e Sá Fernandes assinaram hoje um acordo político para as próximas eleições autárquicas. Resta saber quem fugirá primeiro em hora de aperto. O País e os lisboetas sabem bem os interesses entre PS e Sá Fernandes em Lisboa.

Obama apanhado

Até Obama não resistiu na cimeira do G8. Com a aprovação de Sarkosy, claro!

«Se há alguém a pensar Portugal, é Cavaco»

«Se há alguém a pensar Portugal, é Cavaco».
Manuel Villaverde Cabral. i

A boca de Alegre

«Não há condições para colaborar com o PS».
Manuel Alegre. Correio da Manhã.

O alerta de Cavaco

Um alerta antecipado para não haver surpresas mais tarde. Cavaco Silva pediu a todos os partidos que evitem aprovar diplomas que causem «fracturas na sociedade portuguesa» ou que signifiquem «elevados encargos para o futuro». Nota positiva para o Presidente. Não seria necessário se vivêssemos num País de políticos responsáveis. Mas já que assim não é...

A protecção socrática

Jorge Coelho disse hoje que considera preocupante o anunciado adiamento dos grandes investimentos públicos, medida que classificou de gravosa e que disse constituir um risco para milhares de empregos e para as empresas do sector. «Do ponto de vista empresarial, é preocupante para um grupo como a Mota Engil e para um sector que dá emprego a centenas de milhares de pessoas tudo aquilo que tem a ver com paragens de projectos que estavam a ser desenvolvidos», referiu o presidente da Mota-Engil. É pena que Coelho, nome influente no Largo do Rato, continue a olhar apenas para o seu umbigo, protegido pelo chefe socrático.

Não há nada a fazer

Paulo Portas defende a necessidade de um «supervisor competente» como governador do Banco de Portugal para evitar que se repita «o que se passou com o BPP, o BCP e o BPN». Durante quanto tempo vamos continuar a ouvir o mesmo discurso? Já chega. Vítor Constâncio está protegido pelo sistema e pelo poder actual. Não há nada a fazer.

Demagogias à Sócrates

A decisão anunciada na sexta-feira por José Sócrates de não permitir duplas candidaturas socialistas às autárquicas e legislativas está a dividir os próprios militantes do PS. A decisão do líder socialista é, pois, incongruente, sobretudo a meio de um ciclo. E, já agora, porque não impôs Sócrates o mesmo critério para as europeias? Elisa Ferreira, candidata à autarquia do Porto, pôde candidatar-se a um lugar em Estrasburgo. A verdade, é que já estamos fartos das demagogias à Sócrates.

O glamour de Kylie

Segundo a crítica, foi um festival de glamour o primeiro concerto de Kylie Minogue em Portugal. O Pavilhão Atlântico não estava cheio mas o concerto, esse, foi memorável.

Palavras para quê?

Palavras para quê? A demissão é tardia e já devia ter acontecido há muito por todas as razões e mais alguma. O desgaste de Sócrates começa a ser penoso. Ontem, a imagem do Líder do Governo, revelou muita da fraqueza que há muito se vislumbra. Mau prenúncio eleitoral para os lados do Largo do Rato.


Arguido

Dias Loureiro está a ser ouvido no DCIAP na qualidade de arguido, tendo já sido notificado nesta qualidade na semana passada. Acabou a história longa a que o ex-ministro da Administração Interna nos poderia ter poupado. Cavaco respira de alívio.

A crise na imprensa não desarma

A crise na imprensa não desarma. Desta vez é no PÚBLICO. A eventual redução salarial dos trabalhadores diário deverá estar decidida esta semana.Os funcionários já levaram para casa documentação com «projecção do impacto da proposta de redução», confirmou tendo sido introduzidas mudanças «no escalonamento para a progressividade [da redução] ser diferente». As reduções oscilam entre os 12 por cento (atingindo “5 a 7 pessoas, basicamente administração e direcção”) e os 3 por cento, sendo a redução salarial acompanhada de correspondente valor em termos de horário de trabalho. Vida difícil a dos jornalistas deste país.

Pina Bausch na sua natureza completa

Pina Bausch, fotografada por José António Domingues, no teatro s. Luis, em Lisboa. Com a devida vénia a JAD

Renascimento do «menino guerreiro»

O renascimento oficial do menino guerreiro está marcado para hoje. O animal político apresenta o seu programa eleitoral de candidatura à Câmara de Lisboa hoje em Lisboa. Os estudos de opinião favorecem-no. Mas contra António Costa não será fácil. O lobo socialista já está em plena campanha. E ganhará Lisboa? Há fortes possibilidades.

Porto perde jogador de «Lucho»

Lucho González vai ser jogador do Marselha nas próximas quatro temporadas. O Porto vai receber 18 milhões de euros mais um bónus de um milhão de euros por cada apuramento do Marselha para a Liga dos Campeões nos próximos quatro anos. Pinto da Costa perde um jogador de «lucho» e os portugueses deixam de ter menos magia nos relvados nacionais.

Justiça naufraga em águas revoltas

O procurador-geral da República deixa o aviso: faltam 40 magistrados do Ministério Público no País. A situação, diz Pinto Monteiro, pode fazer «naufragar» o novo mapa judiciário. A reforma da Justiça naufragou há muito. Só os agentes do sector não conseguem assumir essa triste realidade.