Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2008

Telmo fala mas esquece-se que desertou

É frequente os políticos derrotados internamente dizerem o que pensam quando estão do lado de fora. Depois da maior derrota do CDS em Lisboa, nunca mais ninguém ouviu falar em Telmo Correia. Assumir as responsabilidades dos erros e dos fracassos é coisa que para o político nacional não existe. Hoje, em entrevista ao «SOL», o ex-ministro de Durão Barroso vem dizer que «o CDS precisa ser mais ousado». Criticar de fora é fácil. Estar lá dentro e fazer por isso é que já é mais difícil.

Sindicato arrasa jornalistas desportivos

Infâmia. É a palavra mais correcta para definir a forma como se sentem os jornalistas desportivos em relação aquela que foi a posição, dura, assumida pelo Sindicato dos Jornalistas. Na origem da polémica está uma recomendação do Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas fazendo considerações sobre a forma como os jornalistas de desporto relatam os acontecimentos. «Transformar todos os desportos em competições de gladiadores, de luta livre ou de boxe ou futebol é redutor para o desporto, desaconselhável para os jornalistas e fastidioso para os leitores, ouvintes ou espectadores», começa a recomendação do sindicato. Em excertos de jornais enviados ao Conselho Deontológico por um pai de uma criança que joga hóquei aparecem termos como: «em busca de vingar» e «humilhar o adversário em sua própria casa». Por essa razão, considera o Sindicato que «sob pena de caírem na denominação de jornalismo menor os jornalistas desportivos devem ser os principais interessados em manter padrões …

O comunismo que não existe

As referências históricas e ideológicas de regimes como a Coreia do Norte e a ex-URSS continuam vivas nas teias que ainda sobrevivem no PCP de Jerónimo Sousa. A «Visão» mostra hoje, de forma brilhante, como os comunistas encaram o Mundo de hoje. Mesmo com aberturas como nunca antes tínhamos visto a verdade é que o PC continua a achar, neste tempo de modernidade, que o que fracassou não foi o ideal comunista mas sim o modelo de sociedade. A democracia, por que tanto se bate o PC, é outra. Não é aquela de que todos temos conceitos e definições simples. É por isso que o comunismo já morreu há décadas. Só os comunistas insistem em não perecem com a ideologia.

MEC em grande!

Na foto MEC com Ricardo Araújo Pereira
A não perder: a grande entrevista de Miguel Esteves Cardoso, hoje, à Sábado. A escolha do título não é inocente: «o que me enerva é que fui eu a envenenar-me». Quem conhece o percurso do MEC entende bem porquê. Fala das drogas e do mundo vil em que esteve e, sem pudor, afirma: «sempre que tomei cocaína foi para trabalhar. Para me divertir tomei ecstasy». Deixamos apenas algumas frases do escritor de «O Amor é Fodido» sobre algumas figuras da nossa praça que passamos a citar: — Sobre o critério usado por Paulo Portas para «escolher» Monteiro: «não podia ser um queque de Cascais, tinha de ser um matarruano do povo».
— Sobre Margarida Rebelo Pinto: «n'O Independente, o Pedro Paíxão reescrevia-lhe as crónicas. Ela não sabe escrever, mas é simpática». — Sobre Paulo Portas: «não era nada betinho, apesar de não beber. Só tomava comprimidos. E nunca quis ir para a política». — Sobre Ricardo Araújo Pereira: «é p cronista talentoso da sua geração. Ele é es…

O direito de exigir o fim da corrupção!

«Há já alguns anos que venho denunciando junto do Ministério Público crimes cometidos em Portugal, ao nível do urbanismo e do ordenamento do território. A sua existência, à vista de toda a gente, não carece de prova. O cenário propaga-se por todo o país: mamarrachos que desfeiam a paisagem, uma pressão imobiliária que compromete a qualidade de vida colectiva. Quem, como eu, conhece as teias que a corrupção tece neste domínio tem o direito e o dever de identificar os casos, os responsáveis e os culpados (…). Volvido todo este tempo — após inúmeros depoimentos no Ministério Público, em Lisboa, no Porto, na Polícia Judiciária — penso que é tempo de clamar por justiça. Já o fiz nos locais próprios. Tomo agora a iniciativa de o fazer publicamente. Por ora, em meu nome, e por imperativo de cidadania, peço justiça. Mais: em nome de todos quantos empobrecem à mercê destas máfias que nos dominam, exijo-a».
Paulo Morais. JN.Nota — A imagem representa o Estado e não qualquer agente em concreto.

O dado negro

Segundo o ranking das Escolas SIC não há escolas públicas entre as dez melhores em 2008. O ensino público continua manchado pelas notas medíocres. Triste.

El Pibe entra pela porta grande!

Era o que faltava à carreira do El Pibe de Oro: o comando da selecção argentina. Aquele que foi considerado o melhor jogador de todos os tempos, o mágico, o fantástico, pode agora realizar o sonho de ser novamente campeão da Grande Argentina! Talvez esta nova fase possa pôr termo à imagem da negra cocaína que quase levou o ex-jogador à ruína! El Pibe merece!

Veto II

Cavaco veta, pela segunda vez, o Estatuto Político-Administrativo dos Açores. A Assembleia continua a brincar com o Presidente. Mas este é o Presidente que não brinca com a democracia.

Sai Guterres, entra Sócrates, Santos Silva revela-se!

Augusto Santos Silva, ministro dos Assuntos Parlamentares, e o habitual defensor do Governo no hemiciclo acusou hoje Manuel Ferreira Leite de dizer «barbaridades» em matéria económica. Além disso o ex-ministro da Educação de António Guterres considerou ainda que a líder «laranja» muda constantemente de opinião sobre os investimentos públicos. O ataque político é, pois, normal na actividade governativa. Mas Santos Silva — um homem inteligente, mais técnico do que político noutras matérias que não a Economia — teve o dom de demonstrar nesta legislatura como a sua língua foi bem afiada por Sócrates. Quem não se lembra do elegante Augusto Santos Silva quando era ministro de Guterres? Quem não se lembra de Santos Silva quando falava de Educação e Cultura, as pastas que liderou e em cujas áreas deu um grande contributo na governação, ainda que com algumas condicionantes? Pois é, o ministro que tutela também hoje a Comunicação Social acabou por se tornar num dos homens mais provocadores dest…

Eleições americanas: as mais caras da História!

De acordo com um estudo elaborado pelo grupo independente «Center for Responsive Politics» as presidenciais e legislativas que se realizam nos EUA a 4 de Novembro custarão 5.300 milhões de dólares (mais de 4.200 milhões e euros). São, assim, as mais caras de sempre, superando em cerca de 27 por cento os gastos nas eleições de 2004. Esperamos que tanto investimento faça com que a América não continue a perder terreno na tabuleiro geo-estratégico mundial. A ver vamos.

Sócrates, o DN e a TSF

A entrevista de José Sócrates ao DN e à TSF demonstra bem como é possível os órgãos de comunicação social levaram qualquer líder ao colo. Dois dias de páginas e páginas a propagandear as políticas socialistas, com anúncios de aumento do salário mínimo, com justificações sobre o que correu mal. Enfim, páginas e páginas em que, mesmo com a justificação jornalística da coisa, quem leu e releu a entrevista, tem, pois, muitos enjoos pelo meio. A um ano das eleições, Sócrates tem palco mediático para a campanha que quer. E alguma comunicação social também está a dar uma ajuda à vitória do PS em 2009. Mau.

Humildade, Ronaldo, é o que falta!

«Se avaliarmos o que cada um fez durante toda a temporada, considero que fiz mais do que ninguém. O que é que eu tinha que ganhar mais, além da Liga dos Campeões e da Premier League para vencer a Bola de Ouro e o prémio de Melhor Jogador do Mundo?». A pergunta é deixada no ar por Cristiano Ronaldo. Talvez falte ao craque um pouco de humildade. Talvez tanta garra pudesse ser traduzida na Selecção Nacional. Talvez uma descontracção maior e não ter um espírito competitivo tão negativo pudesse ajudar o craque. Mas o «puto maravilha» ainda é isso mesmo...um puto!

Os congressos que a direita já banalizou

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, vai antecipar as directas e o congresso do partido. Acaba de anunciar que deverá apresentar na próxima semana ao Conselho Nacional uma proposta para que as directas se realizem a 6 de Dezembro e o congresso no fim-de-semana seguinte.
Diz Portas que é preciso aproveitar os bons resultados dos populares nas regionais dos Açores para marcar pontos para as legislativas de 2009.
Pois é. Se olharmos para o passado recente, PSD e CDS, já realizaram mais conclaves que todos os partidos juntos em ciclos políticos passados. Sinais dos tempos. Um tempo de guerrilha e instabilidade partidária. É por isto que os portugueses estão cansados. Cansados de verem a direita portuguesa a comportar-se de modo infantil e paranóico.
Quando Cavaco mandava no PSD e Freitas do Amaral ou Adriano Moreira no CDS nunca se viu tanta mediatização congressista. Os jornalistas, esses, já estão habituados a ter congressos partidários de mês a mês, passando o exagero. Para quê? O eleitora…

Camarate

Freitas levantou a lebre e o assunto vem de novo à actualidade política. Ricardo Sá Fernandes, advogado dos familiares das vítimas de Camarate defende que o Parlamento deveria retomar as investigações deste caso. E disse mais: acrescentou que estas investigações se deveriam centrar no tráfico de armas em Portugal nos anos 80.
A verdade é só uma. O caso Camarate nunca foi devidamente investigado. Houve mentes e interesses obscuros que impediram que a verdade fosse descoberta. Nunca se soube até hoje o que aconreceu realmente quando o avião que transportava Sá Carneiro se despenhou pouco depois de levantar voo do aeroporto de Lisboa, a 4 de Dezembro de 1980. E essa dúvida é a que nunca vai fazer esquecer Camarate. É pena porque enquanto o País não souber o que sucedeu nem Sá Carneiro nem Adelino Amaro da Costa terão descanso. A Justiça, essa, continua a ceder ao que menos importa.

O silêncio de Manuela

«Manuela não percebe por que razão insistem em dizer que ela fala pouco, sobretudo quando Menezes foi corrido porque falava demais».
Vasco Pulido Valente. Público.

As memórias de Freitas

«A transição para a democracia». Assim se chama o 2.º volume das memórias políticas de Freitas do Amaral, editado pela Bertrand, e que está a partir de hoje nas bancas. Nele, o ex-líder do CDS, revela conversas até hoje desconhecidas com Ramalho Eanes, Mário Soares, Francisco Pinto Balsemão ou Maria de Lurdes Pintasilgo. O antigo MNE de Sócrates aproveita ainda para falar da correspondência trocada com Cunha Rodrigues, em 1995, a propósito do Caso Camarate, que «visava tanto a Polícia Judiciária como a inércia e a má condução do processo por parte do Ministério Público». Hoje, Freitas, será entrevistado por Judite de Sousa, na RTP. A não perder. Mais uma memória viva da política do século XX.
Uma estória já com teias de aranha — A propósito de Freitas do Amaral, lembro-me de há uns 7 anos, era eu ainda uma jovem estudante de Jornalismo, envolvida em tudo quanto era iniciativa política-académica, de ter conhecido o antigo dirigente político nada mais nada menos do que à saída de uma aut…

«Continuo vivo na memória dos outros»

«Tenho agora mais flores na sala do que num velório.Vêm daqui e dali com cartõezinhos simpáticos, a lembrança dos vivos. Se calhar morri sem dar por isso e continuo a existir na memória dos outros».

António Lobo Antunes. Visão.

Os argumentos finais de McCain

A 20 dias das eleições e com oito a 14 pontos de desvantagem nas sondagens em relação a Barack Obama, o republicano John McCain lançou hoje um duro ataque ao democrata em mais um debate presidencial. Questionado sobre o tom negativo e agressivo adoptado nas últimas semanas, McCain assumiu que «tem sido uma campanha muito dura», mas não evitou repetir uma das acusações mais sensíveis lançadas contra Obama. Por entre acusações, McCain ainda atirou: «eu não sou o Presidente George W. Bush. Se quisesse candidatar-se contra Bush, devia tê-lo feito há quatro anos». A campanha aí está, na recta final, e ao rubro.

Vergonhoso e miserável!

Em vez de «Moreira salva Benfica» a manchete devia ter sido: «Benfica (quase) assassinado por um Penafiel que não desarmou». Vergonhoso e miserável! São as únicas palavras que me ocorrem para definir o que se passou ontem na Luz. Para reflectir.

O número

De acordo com as últimas estimativas da Organização Internacional do Trabalho, no final do próximo ano, 210 milhões de pessoas poderão estar no desemprego devido à crise financeira global. Para colmatar este problema, a OIT apela a uma acção rápida e coordenada dos governos. Será que estes estão à altura de dar resposta ao problema? Duvidamos mas há sempre esperança!

Sócrates foi o grande vencedor da noite

Sócrates tem boas razões para sorrir

Não foi surpresa para ninguém. Carlos César renovou ontem a maioria absoluta nos Açores. O socialista vai cumprir, assim, o último mandato à frente do Governo Regional e a vitória de ontem foi também dedicada a Lisboa e ao Largo do Rato. Sócrates soma e segue para o ano eleitoral que se aproxima. Foi ele, no fundo, o grande vencedor da noite de ontem. Já Manuela Ferreira Leite tem boas razões para estar preocupada já que a demissão do líder do PSD/Açores, Costa Neves, abre a primeira ferida na São Caetano. Será este o primeiro de muitos maus resultados que estão a chegar? De parabéns está Paulo Portas que obteve um excelente resultado na ilha, conseguindo 8,7 por cento dos votos e elegendo cinco deputados. O primeiro teste eleitoral está ganho para os lados do PS. Agora, é só esperar que o OE social e a crise financeira — bom argumento para o péssimo crescimento económico e para o desemprego — façam o resto!

Ruptura final de Powell com Bush

Colin Powell

Colin Powell, secretário de Estado norte-americano no primeiro mandato de George W. Bush, vai apoiar Barack Obama. O posicionamento de Powell marca assim a ruptura decisiva e final do general com a actual Administração republicana. Está cada vez mais difícil a campanha para MCcain.


O sabor amargo dos «elitistas, sulistas e liberais»

O ex-líder do PSD, Luís Filipe Menezes, qualificou hoje como «pindéricas» e «pífias»as críticas da direcção do PSD em relação às propostas do Orçamento de Estado para 2009. E como se não bastasse o populismo de Gaia foi ainda a um ponto extremo: «não entendo como é que cabeças tão inteligentes como a do dito vice-presidente da Goldman-Sachs (António Borges) apresentam uma crítica tão pífia como esta». A linguagem a que já nos habitou Menezes e o rasto de destruição que deixou na São Caetano nos curtos meses que liderou o partido são a prova de como o populismo não pode vingar nunca no partido de Sá Carneiro. Se Santana é o homem das sete vidas, Menezes é o político de meia vida. O suficiente para mostrar que politicamente não vale muito. O sabor amargo deve ser grande... é que ver os «elitistas, sulistas e liberais» na liderança do partido deve dar azia todas as manhãs.

«Um choque de ciclos»

«Depois de um jogo que se tornou um labirinto por entre dez albaneses, onde nunca foi possível descobrir a saída para a baliza, as análises não ficam pela análise táctica e invadem outro território. Um choque de ciclos e épocas que procura criar uma clivagem no projecto-selecção. O fantasma do ciclo-Scolari, com suas bandeiras e conflitos privados, contra a miragem do futuro por construir, nos cadernos de Queiroz. Não faz sentido. (...) As primeiras páginas dos jornais no 'dia seguinte' ao empate com os sorumbáticos disseram isto claramente. Queiroz voltou a cair num labirinto. 14 anos depois, no mesmo local. Com outros fantasmas, mas com a mesma moldura: o 'fado' português. Escapar a ele só fugindo para outro mundo.».

Luís Freitas Lobo. Expresso.

Açorianos em reflexão

Em dia de reflexão para os açorianos, o arquipélago está em suspenso para as eleições regionais de amanhã. Tudo indica, a menos que haja uma catástrofe, que Carlos César renovará a maioria absoluta socialista nos Açores. O candidato do PS comprometeu-se nesta campanha a «prestigiar os Açores no mundo», e destacou as relações do seu Governo com os estados dos EUA, Brasil e com organismos da União Europeia. É pena que César olhe menos para o PIB da ilha, para o desenvolvimento e economia insulares e para os índices de desemprego e pobreza da Região. Esses são os números que mais importam porque é isso que amanhã também estará em causa na hora de votar.

Cavaco avisou, agora levem com o veto!

Foi em pleno Verão que o Presidente deixou o País em suspenso para alertar Governo, Assembleia da República e Assembleia Legislativa dos Açores sobre os perigos que o Estatuto Político-Administrativo dos Açores continha. Mas, afinal, os avisos não deram frutos. O diploma que os deputados em S. Bento ignoraram vai agora, diz o Expresso, ser vetado por Cavaco, ao que tudo indica, após as eleições regionais no arquipélago do próximo domingo. As razões de Belém podem até ser exageradas mas levaram a uma crispação entre Cavaco e Sócrates. Os poderes do Presidente, diz Cavaco, estão em causa. O País que nos representa no hemiciclo devia ter dado mais ouvidos aos protestos presidenciais. Agora, aguentem-se e levem com o veto! Lá dizia o outro...«não havia necessidade»...

Haja milhões e a festa faz-se!

Milhões a dobrar, no caso, a triplicar. 2009 é ano de ir votar três vezes. Por isso mesmo as despesas são sempre a somar. Soube-se hoje que as campanhas partidárias para as três eleições previstas para o próximo ano — europeias, legislativas e autárquicas — vão custar 70,5 milhões de euros ao País. O orçamento do Parlamento tem inscritas as subvenções estatais para as campanhas eleitorais por transferência do Orçamento do Estado. Das três, a campanha para as eleições autárquicas é a mais cara (57.797.550 euros), seguida das legislativas (8.520.000 euros) e europeias (4.260.000 euros). Haja euros e cordas vocais por parte dos senhores que nos governam e temos a festa montada!

Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza

No dia em que se assinala a Erradicação da Pobreza sabe-se que em Portugal 18 por cento da população vive abaixo do limiar da pobreza. Os dados, da Cais, são negros e, no País, ainda muita gente passa fome. Triste.

A previsível Manuela

O PSD vai votar contra o OE/2009 apresentado esta semana pelo Governo. A decisão de Manuela Ferreira Leite, tomada nas últimas horas, vem demonstrar o que já se esperava. Os sociais-democratas, à procura de argumentos eleitorais, não podiam ter outro posicionamento. Só se lamenta que a líder da São Caetano não tenha muita margem de manobra para discordar do documento de Teixeira dos Santos. As linhas mestras inscritas neste OE não seriam muito diferentes das de Manuela. Mais um manifesto que espelha bem que já não há muitas diferenças entre PS e PSD na governação. E no que respeita à política económica muito menos! Mais do mesmo, portanto!

A solidão de Cavaco e o vazio de poder de Manuela

«Cavaco pôde refugiar-se na sua solidão porque mandava no País e tinha muito para distribuir. Manuela não tem nada para distribuir e até no PSD manda pouco». José Miguel Júdice. Público.

Afinal, o que é a crise?

«Sabem os peritos o que é a crise? Depois de milhares de explicações parece que não. Os mais fracos confessam. Um ou outro admite que ninguém sabe verdadeiramente o que se passa».

Vasco Pulido Valente. Público.

Teixeira dos Santos vive noutro Mundo!

O ministro das Finanças é um sonhador. Enquanto a Europa definha, nós, portugueses somos grandes. Teixeira dos Santos disse, hoje, em entrevista a Judite de Sousa, na RTP, que «a economia portuguesa tem capacidade de evoluir de forma diferente da da Europa». Pior: «não é importante discutir números». Desculpe, importa-se de repetir? Mas em que Mundo vive, sr. Ministro?
Muito bem! Aplausos! Qual crescimento económico débil! Quais exportações a aumentar! Nós somos grandes! É pena que estejamos no fundo da tabela dos 27 e em 2009 passemos, ao que tudo indica, para último! Mas pronto, só há uma pessoa inteligente em Portugal: é o sr. ministro das Finanças! Porque nós, comuns tugas, somos uns burrinhos… Ai se somos!
P.S. — É triste ver um dos melhores ministros das Finanças dos últimos dez anos em Portugal a ter intervenções públicas destas! Quanto não vale a lição dada por José Sócrates! Ano de eleições, não é meninos?!

Calem-no enquanto é tempo!

Aí está o ditadorzinho sempre em grande. Confesso já não poder mais com este senhor, amigo do nosso Primeiro-Ministro. Desta vez, Hugo Chávez abriu a boca para dizer ironicamente que o «camarada Bush se comporta como um radical de esquerda ao intervir em grandes bancos devido à crise financeira».
Pois caro Chávez, Bush é radical de esquerda, e tu serás o quê: um socialista do século XXI? Ah não, um verdadeiro democrata que nacionaliza a torto e a direito tudo quanto é empresa pública! Que detém a imprensa como palco para a sua propaganda no País. Um autêntico adepto da democracia!
Calem o homem enquanto é tempo! É que Fidel I está a dar as últimas e o Mundo merece melhor que líderes latino-americanos desta natureza!

Abaixo com a reforma penal!

Cândida Almeida

Cândida Almeida, directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal defendeu hoje a preservação do segredo de justiça para lá do que prevê a reforma penal, nos dez a 16 mil processos que representam o universo da criminalidade organizada.
A diminuição de prazos do segredo de justiça foi uma das razões apontadas para o balanço «muito negativo» que fez hoje da reforma penal durante um seminário organizado pelo Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna.
Será que só o Governo, casmurro e teimoso, não vê os erros cometidos nas reformas penais? Lá diz o ditado e é bem verdade...«o maior cego é aquele que não quer ver».

Palavras para quê?

Com a devida vénia a «A BOLA» não precisamos descrever o triste cenário que ontem se passou em Braga. A imagem fala por si! Bem lembrada para não fazer cair no esquecimento as memórias curtas que por aí andam.

27 querem refundar o capitalismo

A discussão da falência do modelo económico em consequência da crise financeira mundial tem dominado a actualidade mediática. Estará o modelo a falhar? Pois é a União Europeia, como sempre, chega atrasada à discussão. Refundar o capitalismo. Esta é, nada mais, nada menos, a ambição dos 27. Reunidos em Bruxelas, para uma cimeira europeia dominada pela crise financeira, os Estados membros da União manifestaram um consenso total sobre a forma de sair da crise: todos os países decidiram adoptar o plano de resgate dos bancos, delineado pelos membros do Eurogrupo no passado domingo. Para onde caminhamos, afinal? A pergunta pode até nem ter resposta...

Língua afiada

«Até as mulheres com quem dormi estão no processo». Isaltino Morais. Sábado.

«Poupanças, quais poupanças»

«(…) Temos os mais baixos salários, mas pagamos uma das gasolinas mais caras da Europa, à mercê da ganância dos privados e da gula do Estado. (…) Os portugueses, vítimas das gasolineiras, que não abdicam dos seus lucros obscenos, e oprimidos por uma desmedida carga fiscal, vivem assim no pior de dois mundos: impostos ferozes, característica de modelos socialistas, a par duma situação de oligopólio, expressão do capitalismo mais selvagem. (…) O efeito destas práticas reiteradas - no sector dos combustíveis, mas não só - é um país de gente pobre e exangue. Por isso, quando, a pretexto da crise mundial, Sócrates nos tenta sossegar, garantindo as nossas poupanças, dá vontade de rir e de perguntar: poupanças, quais poupanças?». Paulo Morais. JN.

Privatização da Galp adiada

O Governo adiou para 2009 a privatização da Galp, considerando que neste momento o mercado não se encontra nas condições ideais para essa operação. De acordo com o ministro das Finanças, a 5ª fase de privatização da Galp «continua programada», mas, «nas condições existentes, não faria sentido». Porque será? Pois é...há muita coisa que parece inocente mas não o é.

Santana renasce (mais uma vez)

É oficial. Depois de muitos jogos de bastidores, Pedro Santana Lopes é o candidato do PSD à Câmara de Lisboa nas eleições autárquicas do próximo ano. A votação aconteceu ontem à noite tendo participado 33 membros da distrital da capital.
O «animal político» volta ao palco onde sempre foi feliz. Resta saber que trunfos tem na manga para derrotar António Costa da cadeira de Lisboa. Também Manuela Ferreira Leite dá um sinal de não excluir ninguém no partido e apostar num candidato com fortes possibilidades de vencer a maior câmara do País.
Santana tem agora nas mãos a oportunidade de ouro para voltar, em grande, à política activa. Ele próprio só pode dar-se por contente... Lisboa não é Belém, mas ao Palácio já muito dificilmente o homem das sete vidas chegará. Por culpa própria.

O slogan vencedor de Obama

Com a devida vénia a uma grande amiga que me reencaminhou, publicamos o novo slogan de Barack Obama!

Kundera e a denúncia em 1950

Kundera

«Hoje, às 16H00, um estudante, Milan Kundera, nascido em 1 de Abril de 1929 em Brno (...), apresentou-se neste departamento para informar (que uma estudante deveria se reunir ao anoitecer com um tal de Miroslav Dvoracek). Este, ao que parece, desertou do serviço militar e esteve na primavera do ano passado na Alemanha, onde entrou ilegalmente». Assim consta do relatório da polícia, com o número 624/1950, extraído dos arquivos do Ministério do Interior checoslovaco. Assim, sabe-se agora que o escritor Milan Kundera fez em 1950 uma denúncia à então polícia comunista checoslovaca, que resultou na condenação de um homem a 22 anos de prisão.

Paul Krugman é o Nobel da Economia 2008

Paul Krugman

O Prémio Nobel da Economia 2008 foi atribuído ao norte-americano Paul Krugman, de 55 anos. Para quem não sabe quem é Krugman é economista, especialista em trocas comerciais, colunista no New York Times e tido como um feroz crítico da Administração Bush.

A discussão do modelo económico

«As recentes intervenções governamentais não são socialismo, keynesianismo, ou sequer intervencionismo. São do mais estrito e autêntico monetarismo. Foi Milton Friedman, supremo neoliberal, quem recomendou estas políticas para tratar crises deste tipo». João César das Neves. DN.

«Como posso eu, cristal, morrer?»

Para uma fanática de Lobo Antunes como eu...recomendo vivamente a entrevista (mais uma) excelente do escritor, hoje, na «PÚBLICA». Anabela Mota Ribeiro tem a honra de entrevistar um dos mais controversos e soberbos monstros da literatura portuguesa. E como é bem diferente a frontalidade de Lobo Antunes da de Saramago, entrevistado ontem pela mulher, Pilar, para o Expresso... É por isso que Tu, António, és quem és! Sem vedetismos nem ataques de superioridade! Não pares de escrever. A tua escrita é oxigénio para quem respira livros. Para quem adora o cheiro do papel. Para quem, no fundo, tem os mesmos sonhos que Tu!

Júdice e o Portugal inviável

«Portugal pode não ser viável».

José Miguel Júdice. Em entrevista ao Correio da Manhã/Rádio Clube.

Morreu o mais bem sucedido radical de extrema-direita das últimas décadas

O líder do partido populista austríaco BZÖ, Jörg Haider, de 58 anos, morreu ontem vítima de um acidente de viação. O carismático populista de direita foi um dos políticos austríacos de maior sucesso e serviu de modelo para toda a extrema-direita europeia. O trampolim que tornou conhecido em toda a Europa este político foi a sua demagogia populista de cariz xenófobo e a sua ambiguidade relativamente ao nacional-socialismo, embora durante os últimos anos tenha moderado o seu discurso para atrair os eleitores democrata-cristãos.
O falecimento de Haider ocorre quando tinha voltado ao primeiro plano da política nacional, liderando a Aliança para o Futuro da Áustria, a formação mais bem sucedida nas últimas eleições, em que triplicou o número de assentos no Parlamento e obteve mais de 10 por cento dos votos. Será que com ele morreu também um pouco da extrema-direita na Áustria? Era bom.

A boca

«Quem faz o Orçamento do Estado é o Governo». A frase é do ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, em resposta ao Presidente da República que tem alertado sistematicamente os poderes instituídos para as dificuldades por que estão a passar milhões de portugueses.

A frase do dia

«No domingo passado, lembrei-me de pessoas que nem teriam que comer nessa noite, mas que, pela vitória do clube que representa esta cidade, estariam mais felizes do que algumas que têm muito».

Pinto da Costa (sobre vitória do FC Porto sobre o Sporting), Record

Sócrates falha promessa eleitoral

O PS deixou de se comprometer com a ideia de que fará do casamento «gay» uma promessa eleitoral nas legislativas do 2009. Sócrates tem medo das questões fracturantes que imperam na sociedade portuguesa. Faz mal. Tal como no Aborto, o Primeiro-Ministro devia enfrentar o problema dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Mesmo que isso lhe custasse votos nas urnas. Mas, infelizmente, o apelo da maioria absoluta — na calha — fala mais alto!