Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2008

O sabor amargo do homem de Gaia

«Sei que o futuro líder não vai ser um líder com maioria». Luís Filipe Menezes.

Prevenir não custa

Dez mil mortos. 1600 feridos graves. E mais de 273 mil pessoas desalojadas. Seria este o trágico balanço no caso de um terramoto na região de Lisboa. As previsões, que aqui deixamos, constam do Plano Especial de Emergência de Risco Sísmico da Área Metropolitana de Lisboa e Concelhos Limítrofes, divulgado hoje pela Lusa. Prevenir não custa.

A admiração de Santana por Cavaco

«Tenho muita admiração pela forma como o Presidente da República está a exercer o seu mandato». Pedro Santana Lopes, em entrevista ao DN. Será que Cavaco teve alguma admiração pela forma como Santana exerceu o cargo de Primeiro-Ministro? Os portugueses gostavam de saber.

Manuela é a preferida até amanhã

Todas as sondagens publicadas hoje na imprensa dão como certa a vitória de Manuela Ferreira Leite nas directas do PSD de amanhã. Como em nada na vida (e na política também) é seguro, e favas contadas já não existem, a «dama de ferro» tem pelo menos os estudos de opinião a seu favor.
Veremos até onde vai Manuela. Se Passos surpreender, a verdade é que não haverá a restituição da credibilidade que o PSD tanto necessita. De Santana, está tudo dito, pelo que disse e fez nesta campanha. Mas quem pense que o «menino guerreiro» pode ficar lá bem atrás, desengane-se. Se chegar a vencer então o PSD fica num beco sem saída.

Nota — Ontem, no programa «Corredor do Poder», na RTP, André Freire, politólogo e sociólogo, defendeu a possibilidade de haver uma segunda volta nas eleições internas do PSD. Tudo para não permitir que um curto resultado eleitoral fragilize o candidato vencedor. Será que alguém, na S. Caetano à Lapa o ouviu? Certamente só Marco António Costa que representava o partido no mesmo…

Cavaco começa a dar sinais

Já era sem tempo. O silêncio do Presidente da República perante tudo o que se tem passado no País nas últimas semanas começava a ser penoso. Hoje, Cavaco, quer que se encontre uma solução o mais rápido possível para os pescadores já que «o sector em causa é dos que mais sofre com o aumento dos preços dos combustíveis».
Continuará Sócrates e o seu Governo a fingir que não ouvem os sopros desagradáveis que chegam de Belém? Não sabemos, é certo, o teor das conversas de quinta-feira entre o Chefe de Estado e o Primeiro-Ministro. Porém, já chega de tanto assobio para o lado perante a crise social e económica instalada em Portugal.

Corrupção

Pinto Monteiro disse hoje que é fundamental a «consciencialização e a censura ética» do povo português relativamente à corrupção no desporto. Tudo, assegura o PGR, para que o combate a este cancro que mina o Estado de Direito seja eficaz. Será por falta de denúncias e censura pública que o número de casos com punição é ainda diminuto? A resposta, certamente, não é difícil.

Que bem que se fala na casa da democracia!

«Senhor deputado Francisco Louçã não vou responder à sua linguagem imagética animalesca». Esta foi a resposta do líder parlamentar do PS, Alberto Martins — no debate quinzenal de hoje na AR — ao líder do BE, Francisco Louçã quando este aludia a protestos da bancada socialista enquanto falavam como «uivos».
Na defesa da honra de Louçã veio acudir Luís Fazenda com a brilhante frase: «É bem certo que, numa acepção, animal é aquele que é dotado de animação. Nesse sentido, o senhor deputado é tão animal como nós». Não precisamos de mais exemplos para perceber como os discursos parlamentares evoluem em Portugal. Triste e degradante.

O drama actual dos portugueses

Piada não tem muita mas a imagem que recebemos por e-mail reflecte, e bem, o drama diário com que milhões de portugueses se deparam actualmente.

A boa notícia

O Primeiro-Ministro, José Sócrates, disse estar disponível para debater a limitação do IVA nos combustíveis. Esperemos que não seja apenas uma promessa e que a intenção seja verdadeira. A boa notícia para já fica-se pela declaração.

Moção de Censura III

Paulo Portas, líder do CDS-PP, anunciou hoje na Assembleia da República que o seu grupo parlamentar vai apresentar uma moção de censura ao Governo, a terceira deste mandato. Enquanto o PSD anda na festa da eleição interna, o seu vizinho do lado, aparentemente, e em silêncio, vai, aqui e ali, tentando dar algum sinal de que ainda está vivo. Mas não será por muito tempo. A paz podre que se vive no Caldas tem prazo de validade marcada para 2009. Aí veremos qual o destino popular.

O choque: abusos no seio das Nações Unidas

Sabe-se hoje que, nos últimos anos, foram cometidos abusos sexuais por capacetes azuis (ONU) sobre crianças em várias missões humanitárias.
Seis soldados nepaleses que integravam o contingente das Nações Unidos foram detidos no Congo, em 2003; dois foram repatriados no Burundi, em 2004; no Sudão, em 2005, tropas da ONU foram confrontadas com tentativas de violações; em 2006, pessoal civil das Nações Unidas foi alvo de várias acusações de violação e outros abusos, em missões humanitárias, na Libéria e no Haiti.
Quem protege, afinal, estas crianças, à mercê dos que as deviam proteger? Uma página negra para a ONU e que envergonha o mundo inteiro.

Cai o líder, Ribau ataca

Ribau Esteves, o ainda secretário-geral do PSD, resolveu dar um ar de sua graça a quatro dias das directas. Há muito que já não o víamos assim, ao seu melhor estilo na política, sublinhe-se. O autarca de Ílhavo veio a terreiro para lançar farpas a Menezes, o homem que fez dele seu n.º 2 no partido, lugar que Ribau certamente nunca sonhou ocupar. Diz Ribau que a decisão de Menezes de abandonar a presidência «laranja» foi «absurda, errada e inacreditável». É sempre assim. Até a vidinha correr bem os líderes são sempre melhores que o último e que o próximo. Quando as coisas dão para o torto...é enveredar pelos interesses mais à mão. E apoia quem o «bacalhau seco» mais conhecido do País? Santana, claro está, a continuidade do populismo que vai a votos nas directas do próximo sábado. Para bom entendedor, meia palavra basta...

O novo roubo nacional

Fica aqui o novo roubo nacional que nos foi enviado por e-mail. Palavras para quê face ao actual panorama nacional e mundial?

Manuela sem demagogias

Manuela é assim: fria, directa e pragmática. Demonstrou isso mesmo, mais uma vez, colocando-se ao lado do Governo em matéria de combustíveis. A «dama de ferro» considera que não há condições para baixar o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos. Por seu turno, Pedro Passos Coelho, o liberal, defende o contrário. Mas será que, nesta fase que o país atravessa, faz sentido continuar a enganar os portugueses. Não faz porque o povo não é estúpido? Assim, Manuela só ganha em confrontar o eleitorado com aquilo que realmente defende. Mesmo que isso lhe venha a custar caro nas urnas.E Santana, o que diz? Deve estar ainda a reflectir no melhor pensamento populista...

O número

Vinte e dois mil agentes da PSP vão ver congeladas em 2008 e pelo terceiro ano consecutivo as subidas de escalões e promoções salariais. A decisão foi tomada a 8 de Maio em despacho da Direcção Nacional da PSP. Motivos mais que suficientes para deixar os polícias de cabelos em pé. Rui Pereira continua a ter boas razões para não dormir descansado.

A voz sábia de Eduardo

É uma das vozes mais respeitáveis do País. Mesmo a viver em França há muitos anos, Eduardo Lourenço continua a alimentar a paixão dos que se calam sempre que ele fala. Platonismo Político deixa algumas das frases do ensaísta em entrevista, hoje, ao DN/TSF.
«PS e PSD são duas alternativas à mesma coisa».
«Se pertencesse a algum partido seria um partido socialista».
«O Acordo Ortográfico é uma ideia peregrina».
«Dá-se impressão, a quem aterrasse aqui vindo de Marte, que somos muito ricos, que vvemos muito bem».
«A Europa está parada desde o Tratado de Nice e sem dinamismo interno».
«Obama é novidade profunda».

Sócrates: o socialista de «meia-tigela»

«Sócrates é um político de meia-tigela». A boca é de…Santana Lopes, pois claro. Os portugueses mais atentos à tourada política já deviam estar preocupados por ainda não terem visto o ex-Primeiro-Ministro a enveredar pelo estilo que mais o caracteriza.
Afinal, quem é o adversário de Santana nestas «directas»? José Sócrates? Manuela? Pois, por isso mesmo é que no que toca a reunir apoios nas bases «laranja» o «menino guerreiro» faz parte do pelotão. Isolados, bem mais à frente, vão Manuela e Passos Coelho.A atitude e a forma de guerrear dizem bem de cada um dos nossos ilustres políticos.

Os predadores continuam à solta

«As redes de pedofilia (da Casa Pia) continuam activas». A frase, de Catalina Pestana, ao Correio da Manhã de hoje, espelha bem a incapacidade de acção (preventiva) do Estado e da Justiça portuguesa.
Anos depois de o País ter ficado envergonhado com o maior escândalo de abusos sexuais alguma vez conhecido, continua tudo na mesma. Para criminosos e vítimas. O grito foi dado mas não silenciado. Quando calaremos e imobilizaremos, de vez, os predadores de inocentes? A resposta vai demorar. Todos o sabemos. Até lá a impotência permanece. Surda e calada como convém aos poderes e interesses em jogo.

A ameaça

«(…) o fortalecimento do Irão, a “reforma” parcial da Rússia e, sobretudo, a emergência económica da Índia e da China inauguraram uma nova época “multipolar”, em que nenhum pólo é por si próprio decisivo. Os riscos de guerra são hoje muito maiores do que eram, para a Europa, em 1914».
Vasco Pulido Valente. «Público».

O exilado intelectual

«Sinto-me um exilado intelectual».
António Damásio, cientista português, em entrevista ao Expresso.

Soube a pouco, a muito pouco…

No primeiro debate televisivo entre os quatro candidatos à liderança do PSD a surpresa não podia ter sido pior. Um debate bastante fraco, com um modelo paupérrimo e uma jornalista/moderadora igual a si própria.
Patinha Antão não existiu. Pedro Santana Lopes foi igual a si próprio no espectáculo mediático que só ele sabe fazer. Pedro Passos Coelho confirmou o estilo discreto e sedutor que todos lhe conhecemos. Manuela Ferreira Leite espelhou a velha imagem de respeito e austeridade, ainda que tivesse sido ousada em alguns momentos da discussão.
Vencedores não os houve até porque no campo das ideias e dos princípios também a discussão não existiu. É pena. Os militantes do PSD esperavam mais. O País também. Não houve imposição do projecto político que cada um tem. Para além do famigerado tema dos impostos nenhum deles soube explicar, por A + B, as linhas estratégicas com que se apresentam ao eleitorado «laranja». Preferiram falar para o País. E da pior maneira.
Mesmo assim se houve alguém q…

Silencio-me perante ti, amigo Torcato!

A maior homenagem que se pode fazer a um amigo e camarada no momento em que ele nos deixa é, por vezes, remetermo-nos ao silêncio. Sobre o Torcato as palavras tornam-se infinitas e sempre com sabor a pouco. E porque a escrita era a fuga brilhante de quem sabia como ninguém transformá-la em sabedoria, pouco mais há a dizer. Por isso, na hora da despedida de um homem e jornalista como poucos neste País lhe seguem o exemplo, há vazio, tristeza e nostalgia. Todos os que tiveram o privilégio de passar pela vida do Torcato retiraram certamente uma de muitas lições de vida. Do homem, jornalista e amigo com uma cultura literária infinita e que se tornou um dos grandes libertários da «velha guarda» resta-nos, agora, guardá-lo para sempre em nós e tomarmos sempre que possível o exemplo que nos deixou.
Tomo, neste momento de tristeza, a liberdade de citar o editorial de hoje de José Manuel Fernandes, no Público, e que retrata bem o «nosso» Torcato: «O que dói é esta sensação de que somos devedore…

Colombo de novo na origem da polémica

«O mistério de Colombo revelado», do investigador Manuel Rosa promete, sábado, ressuscitar a polémica em torno do mito. O documento, que será apresentado no fim-de-semana no Centro Cultura de Cuba, em Beja, irá demonstrar que o testamento atribuído ao navegador Cristóvão Colombo pode não passar de um documento falso. Mais uma tese, uma teoria ou uma falácia?

A última cruzada de Indiana Jones

Após dezanove anos de interregno está de regresso o mais famoso arqueólogo da sétima arte, interpretado por Harrison Ford. Steven Spielberg traz-nos agora Indiana Jones até aos confins do Perú à procura da mítica Caveira de Cristal.
Cate Blanchett é a agente do KGB com a qual Jones se irá cruzar. Sir Sean Connery também volta no seu melhor para entusiasmar os amantes do actor escocês. A estreia está marcada para hoje e Indiana promete ser igual a si próprio.

Com um Governo assim Portugal não precisa de (des)governo!

«O Governo não vai dar apoios especiais aos armadores ao nível dos combustíveis».
Jaime Silva, ministro da Agricultura, em resposta aos protestos dos armadores portugueses que prometem uma paralisação já na próxima semana.

Gato sempre em grande!

«Tendo em conta que, deixando de fumar, Sócrates viverá mais tempo, não sei se a medida será benéfica para o País. Nesse sentido, é possível que não seja uma promessa, mas sim uma ameaça».
Ricardo Araújo Pereira. Visão.

Delors e Santer defendem criação de comité de crise na Europa

Catorze antigos altos responsáveis europeus, como ex-primeiros-ministros ou ministros da Economia pediram hoje a criação de um comité de crise europeu para enfrentar as turbulências financeiras e limitar os seus riscos na Europa.
Entre os signatários figuram os ex-presidentes da Comissão Europeia Jacques Delors e Jacques Santer, o ex-chanceler alemão Helmut Schmidt, os antigos primeiros-ministros francês Michel Rocard e Lionel Jospin ou o antigo chefe de governo dinamarquês Poul Rasmussen. Era bom que alguém os ouvisse...

Com candidatos como Patinha haveria passeio pelo Parque

Patinha Antão, candidato à liderança do PSD, surpreendeu tudo e todos ontem à noite no Porto ao dizer que Pedro Passos Coelho reúne as condições para ser «um líder do século XXI».
Com adversários assim o mais jovem candidato às directas da São Caetano pode ficar descansado com os «outsiders» que tem atrás de si. A luta prossegue dentro de momentos com Manuela e o outro Pedro. Todos sabemos que as lutas partidárias se ganham pelo combate e pelo ataque político mais demoníaco que pode existir. O economista, já se sabe, não quer entrar em «baixeza» mas sabe igualmente onde está e para onde não vai.Com candidatos como Patinha as disputas eleitorais seriam um autêntico passeio no Parque!

O Presidente não se resigna. E os portugueses?

«Não nos podemos resignar nesta fase da economia, isto pode criar um certo sentimento de descrença nos portugueses».
Cavaco Silva. Presidente da República.

As fragilidades de Manuel Pinho

Ninguém entende por que continua o ministro da Economia em exercício de funções. Não é de agora que Manuel Pinho se mostra frágil no cargo que ocupa, nas decisões que toma e nas declarações sem sentido que profere.
Hoje teve (mais) um desabafo num tom fantástico. Diz o governante que, agora sim, é «muito preocupante» o aumento dos preços dos combustíveis. A pergunta que deixamos no ar é só uma: terá Manuel Pinho acordado hoje, 19 de Maio, para o problema? Começamos a pensar que ainda não é remodelável por ser companhia imprescindível para o Primeiro-Ministro no vício da nicotina...

O Maio de 68, visto por VPV

«O "Maio de 68" acabou por se transformar numa "fronteira" histórica e no símbolo de uma geração. É uma fama que não merece». Vasco Pulido Valente. Público.

Baixar ISP? Nem pensar!

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, confirmou hoje o que já se previa: o Governo não vai baixar o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos porque tal seria «adiar uma mudança» fundamental nas economias. Bem pode o PSD apregoar a sete ventos a redução da carga fiscal em tempo de campanha interna... É que todos sabemos que em 2009 o PS ainda vai muito a tempo.

Insólito!

O Tribunal de Braga condenou ao pagamento de uma multa e de uma indemnização um cidadão que fez uma reclamação no Livro de Reclamações da Conservatória do Registo Predial. Em Portugal é assim...exerce-se um direito e ainda somos multados por isso. Ao invés, o nosso Primeiro-Ministro viola a lei e não lhe acontece nada...Sim, sim, bem sabemos que a imunidade é grande!

A redundância de Vítor Constâncio

O Governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, assume: «não há margem para descer os impostos». Se houvesse é que o País inteiro se admirava.

«Não me sinto um D. Sebastião»

— «Para ser campeão é preciso tempo e paciência».
— «Regressei ao Benfica com um contrato em branco. Só soube quanto ganhava no fim do primeiro mês: 12,5% do salário do Milão».
— «Sempre fumei!. Nunca o revelei em público para não dar um mau exemplo. Estou decidido, muito em breve, a parar».
— «Os castigos da Liga não deixam de ser um sinal. Sempre gostei de ganhar os jogos em campo, nunca fora!».
Excertos da entrevista a Rui Costa, director desportivo do Benfica, que será publicada amanhã no Expresso.Fonte: Expresso Online.

O aviso do Presidente

Cavaco Silva disse hoje que o país não pode parar o esforço de modernização mas que deve ser dada uma atenção particular às pessoas que estão a ser prejudicadas, actualmente, pela crise económica. Mais um aviso do Presidente para o Governo de José Sócrates que começa a dar os primeiros sinais de desgaste. Os erros sucedem-se a bom ritmo. E todos sabemos que em Belém há um satélite bem atento com enfoque no Palácio de S. Bento.

O facto (negro)

Mais de mil polícias foram agredidos no ano passado em serviço. Fonte: Relatório Anual de Segurança Interna.

Crescimento económico: o patinho feio do costume

O Governo vai rever em baixa a previsão de crescimento económico, dos 2,2 para 1,5 por cento. Culpados do costume? A economia internacional, a situação económica interna, a inflação, etc. Ninguém ficou espantado até porque há meses que as más notícias se esperavam. O caminho da média europeia fica mais uma vez adiado.

«Fumo» assumido

«Fumei haxixe e não gostei do sabor». Pedro Passos Coelho. Sábado.

Investimento a mais em Lisboa, diz Rio

O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, diz que «tem havido um excessivo investimento» em Lisboa e que o resto do País está esquecido.
Será apenas em Lisboa que o betão segue a alta velocidade? No Porto não, sr. Presidente? É verdade o que o interior está esquecido e investimento é mentira mas às vezes é bom olhar também para o nosso umbigo antes de apontarmos o dedo a Lisboa...

A boa notícia!

Ao todo são cerca de 62 milhões de euros o montante que o Governo tenciona investir ainda este ano na modernização da PSP e da GNR. «Neste momento há da parte do Governo um despertar diferente para as questões da segurança porque este domínio constitui uma obrigação essencial do Estado e um parâmetro fundamental da qualidade da democracia», justificou o secretário de Estado da Administração Interna, Rui Sá Gomes.
As boas novas para as forças de segurança tardam mas ainda bem que não falham.

Ainda alguém ouve Jardim?

Alberto João Jardim continua na política do «bluff» e do «avanço, não avanço». Igual a si próprio, obviamente. Desta vez veio a terreiro para dizer que só avança se «se tiver a garantia de ganhar o PSD».
Bem sabemos que o líder madeirense não avança. Nem agora nem nunca. Tal como sempre fez no passado em matéria de liderança nacional.
Até dia 18, data limite de entrega de candidaturas, Jardim desfaz o «tabu». É pena que só ele se oiça a si próprio, já que ninguém tem mais paciência para este populismo insular.

A tragédia de Sichuan

Sete mil mortos. É este, para já, o número de vítimas que perderam a vida esta segunda-feira no terramoto de Sichuan, na China.

Não votou em mim? Desista, por favor!

Passos Coelho votou em Santana. Santana votou em si próprio. E…Manuela…diz que «não votou Santana» mas votou PSD nas legislativas de 2005. Complexo? Nem tanto, só que com esta simples declaração Manuela Ferreira Leite devia ter previsto que Santana a aproveitasse ao máximo. O líder parlamentar «laranja» ficou chocado — ao jeito da vítima — e pediu que a «dama de ferro» desistisse da corrida. Mas onde está, afinal, a liberdade democrática na São Caetano à Lapa? No cartão de militante existe alguma obrigatoriedade de votar no partido em que se é filiado? E são estes os argumentos da campanha interna do maior partido da oposição. Enquanto se for por este caminho não há eleitorado que resista!

Rui: a despedida!

Será o Rui que terá mais saudades da bola ou será a bola que não suportará as saudades do Génio?


«Hegemonia sem falhas»

«Não é admissível que um clube do Norte provinciano exerça uma hegemonia quase sem falhas. O Porto haveria de pagar».
António Barreto. Público.

P.S. - Os outros também, acrescentamos nós.

Matriz socialista «está gasta»

Para Almeida Santos a matriz socialista já deu o que tinha a dar. O histórico do PS diz hoje em entrevista ao DN e à TSF que «não é possível ter uma prática política de acordo com a ideologia socialista».
Na verdade o presidente do PS vem dizer aquilo que já se sabia e subscrever a descaracterização ideológica do partido de Sócrates. Almeida Santos lança ainda outras farpas que o tempo já vai permitindo e considera que a candidatura de Mário Soares nas presidenciais de 2006 foi um erro. Tudo, porque um mandato aos 82 anos é arriscado e a história nunca se repete. No caso em Belém.
Sócrates já vai acusando o incómodo das vozes respeitáveis do partido que, aqui e ali, vão dizendo o que grande parte do partido pensa sobre veia (reformista) que surge do Largo do Rato. Para meditar, sr. Primeiro-Ministro…

Açores de parabéns!

Em dia de comemorações do Dia da Região, o arquipélago dos Açores está de parabéns! Só falta a autonomia (ainda) mais alargada...

A farpa de Santana

«Há algumas pessoas a quem fará bem algum tempo de descanso da actividade política».
Pedro Santana Lopes. Em Castelo Branco, ontem à noite.

ASAE por objectivos!

O Expresso confirma hoje o que já se sabia: existe uma tabela de objectivos que fixa metas para os inspectores da ASAE atingirem este ano determinado número de detenções, suspensões e contra-ordenações.
Vejamos o Plano de Actividades delineado para 2008. Cada inspector terá que realizar duas detenções, oito processos-crime, 61 contra-ordenações, seis suspensões e 124 infracções. Todas estas metas foram enviadas para as oito direcções regionais da ASAE espalhadas pelo País, como escreve hoje o Expresso. O responsável da «polícia» económica e alimentar diz que não pode proibir a elaboração do documento já que a legislação «é muito detalhada em relação ao processo de avaliação» e que a mesma está de acordo com as regras da Administração Pública. Até entendemos a posição de António Nunes. Que se cumpra a avaliação dos inspectores. Só não se faça disso uma «perseguição» obsessiva e sem precedentes em Portugal nesta matéria. O circo mediático das fiscalizações em feiras e restaurantes no Pa…

Será até 2016?

Para Durão Barroso, que termina o seu mandato à frente da presidência da Comissão Europeia em Outubro de 2009, é ainda muito cedo para falar num segundo mandato à frente da instituição. E adianta: «não contemplo um regresso a funções políticas em Portugal».
É quase certo e seguro que Durão será recandidato em 2009 para uma segunda temporada em Bruxelas. É que em 2011 ainda é muito cedo para os voos presidenciais, já que Cavaco deve assegurar mais cinco anos em Belém, como já é tradição.
Portanto, à deixa de Durão, que diz que um dia quer «voltar a Portugal» e jura que «não faz especulações», o Platonismo Político responde: está o regresso marcado para 2016? Resta saber se com ou sem António Guterres na corrida à cadeira do Palácio de Belém. A ver.